quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Dança de São Gonçalo




DANÇA DE SÃO GONÇALO

 
Eita santo dançador!

 O costume de fazer festa para São Gonçalo com música e dança dentro das igrejas foi trazido para o Brasil pelos portugueses nos primeiros séculos da colonização.




No Brasil (embora esteja associada a 10 de janeiro, dia da morte do santo) a festa não tem data fixa, dependendo assim do interesse e disposição dos fiéis, que promovem a dança como forma de pagamento de promessa.

Alguns fiéis acreditam que a dança de Gonçalo remete à origem do mundo, e na imaginação popular ele aparece como um Santo festeiro, tocador de viola, que dançava a noite toda com pregos nos sapatos para pagar suas dívidas.

Diz a lenda que o frade dominicano Gonçalo teve uma vida com muitas virtudes, encontrando uma forma hábil de tirar as mulheres da prostituição, através da música tocada por uma viola. As prostitutas, assim que se encantavam pela música, passavam a ajudar Gonçalo, deixando o meretrício. Daí a referência de que se tornou o santo protetor dos prostíbulos e também das mulheres que buscavam um casamento. E diz mais a lenda: A mulher que tocar com alguma parte do corpo o túmulo do santo, em Portugal, terá casamento garantido dentro de, no máximo, um ano.”

Aqui no município de Pio IX (PI) registra-se o culto à São Gonçalo em várias localidades, como Anacleto, Povoação, Coivaras e outros lugarejos nas imediações dos avizinhados municípios de Alagoinhas e São Julião. E temos como referência atualmente (2006) a localidade de Serra da Baraúna, onde em agradecimento a graça alcançada o promesseiro convida amigos, vizinhos, parentes e violeiros para realizar a dança, no "terreiro" da sua casa.

Os marcantes e contra guias da dança, de tradição renomada na referida região nessa época (2006), com seus respectivos adeptos são: Manoel Chico, José Viturino de Sousa, José Manoel da Silva ( Zé do Né), Ricardino Ricardo da Costa e Edmar José da Costa.

Os promesseiros de Pio IX não sabem exatamente quando começou a se dançar São Gonçalo por aqui, e dizem os entrevistados que desde que nasceram já convivem com essa manifestação. Sendo frequente o encontro dos promesseiros daqui com os de Alagoinhas e São Julião.

Ao buscarmos como referência atual a localidade de Serra da Baraúna, vimos os moradores comentarem: “hoje tá mais fácil porque os mais jovens já vão pegando a cuia e batendo e aprendendo, chamando os colegas do dia seguinte. Quando começou era difícil, pra fazer promessa tinha que ir buscar marcante de longe”.

 PASSOS DA DANÇA:

Tudo começa com a entrada do santo em procissão, o qual é posto na mesa dentro do círculo traçado. Começa então as jornadas com o pagador da promessa ajoelhado diante do altar, ou como ficou definido o seu sacrifício: de joelho, vestido de branco ou da cor que desejar.
Nos passos da dança são executados trancilins, ‘S’ grandes e ‘S‘pequenos. E do jeito que dançam os marcantes, dançam os contra guias. No final da jornada vão se ajoelhando na mesa, beijando o santo e pegando de duas a duas, as damas. Estas são levadas a ajoelharem-se e beijarem o santo. Isso se repete até a última dama.
Tudo acontece ao som das batidas das cuias. Mas assistimos presente também a famosa sanfona, o triângulo, pandeiro e surdo.
É comum os dançantes se apresentarem de pés descalços. Mas não existe cor nem modelo de roupa definido para esse santo e os marcantes garantem que antigamente usavam indispensavelmente um lenço amarrado na cabeça.
A devoção dos fiéis é tamanha que quando não têm condições de arcar com as despesas para realizar a dança na própria casa, esperam a promessa do vizinho para pagar a sua. Ou ainda pedem ‘pelo amor de Deus’ aos dançadores para que tirem as jornadas.
Sorte mesmo é daqueles que não são seguidores de Gonçalo e por consideração ao devoto são obrigados a pagar a promessa de joelhos diante do santo, em um terreiro com a poeira subindo. Exemplo disso é o prefeito José Mesquita (2006), que na dita Serra da Baraúna foi retirado do pé do altar à beira de um desmaio, quando pagava uma promessa de 12 jornadas, rogada por seus eleitores.

Eita santo dançador, derruba qualquer forrozeiro!

HINOS A SÃO GONÇALO

01

São Gonçalo vai saindo

Ninguém veio visitar


Quando cair numa doença

São Gonçalo venha cá

São Gonçalo e Santo Antônio

São dois santos interesseiros

São Gonçalo é pela dança

Santo Antônio pelo dinheiro

Na mesa de São Gonçalo

Tem duas velinhas acesas


Uma é de São Gonçalo

A outra de quem festeja

São Gonçalo aqui chegou

Ele não veio passear


Veio pagar uma promessa

Que mandaram lhe chamar

 

02

Meu divino São Gonçalo


Em sua caixinha de prata

Lhe peço meu São Gonçalo (bis)

Que perdoe as minhas faltas

Meu divino São Gonçalo

A vossa camisa cheira

Ou ela passou em rosa (bis)

Ou em flor de laranjeira

Lá vem o carro zuando

Cheio de cravo e de rosa

São Gonçalo vem no meio (bis)

Escolhendo a mais charmosa

Quem tiver suas doenças

Não se receite o fujão

Se pegue com São Gonçalo (bis)

Que lhe cura sem pôr a mão

Faça uma roda bem grande

Que vá na beira do rio


Se o rio tiver cheio (bis)

Chame por Santa Maria

Meu divino São Gonçalo

Em sua caixinha de prata


Lhe peço meu São Gonçalo (bis)

Que perdoe as minhas faltas.








 



 
       

Um comentário:

  1. Aqui tem rodas de são gonçalo mas nem de perto é iqual as que são feitas ai estou gostando do blog parabens Rosa

    ResponderExcluir